As dificuldades do Ballet Iniciante, Blog Dança Cristã, Milene Oliveira, Ballet, Bailarinas dançando.

É comum bailarinas iniciantes de ballet clássico sentirem uma certa dificuldade nas primeiras aulas. Mas isto não é motivo para desistir. Por isso vou listar algumas coisinhas que podem ser feitas para ajudar vocês iniciantes, vamos la?!

1. A primeira dificuldade que muitas enfrentam, até mesmo bailarinas em níveis mais avançados é em relação aos nomes dos passos, que não são nada comuns. Decorar tanto nome estranho é complicadinho mesmo, portanto tenha sempre em mãos um dicionário de ballet e um caderninho para anotar tudo e não deixar passar nada. Quando se entende o nome dos passos se torna mais fácil aprende-los.

2. O ballet clássico exige dos bailarinos muita coordenação motora. Tudo deve ser sincronizado: braços, pernas, cabeça, coluna... Mas tentar manter toda essa sincronia é bem difícil para as inciantes. Os pés devem estar em alguma das posições, os braços também, sempre! Conseguimos aprender as posições facilmente, mas na hora de executar os movimentos ninguém sabe qual a posição correta devem estar os braços e pernas. O ideal é não tentar fazer tudo de uma vez só. Procure aprender primeiramente as posições dos pés e manter os mãos na cintura enquanto executa algum passo. Com o tempo você vai se acostumando e pegando o jeito.

3. Outra dificuldade que muitos tem, é na hora de repetir a sequencia dada pelo professor. Eu sofri muito com isso porque não conseguia memorizar o que era passado e me confundia muito. Mas com o tempo percebi que um passo puxa o outro e prestando bastante atenção consegui acompanhar. São muitos passos parecidos, mas que não são iguais, por isso é importante ficar atento. Ao chegar em casa tente repetir o que foi feito na aula, se preciso, anote. Não tenha vergonha de pedir ao professor para parar a aula até que você anote, eu fazia muito isso, e ajuda bastante.

4. O que dizer dos giros? Toda bailarina iniciante tem medo deles. Muitas até chegam a pensar que nunca conseguirão fazê-los. Mas acredite, todas as grandes bailarinas passaram por isso também, e conseguiram. Tente não se apavorar, raramente alguém consegue um giro perfeito logo de primeira. É preciso muito treino, esforço e dedicação. Aliás, tudo no ballet, exige isso. Não faça de qualquer jeito só por fazer, tenha calma, preste atenção nos pés, na forma como deve pegar impulso e treine, treine bastante. Quando menos perceber estará conseguindo.

5. Você já reparou que as músicas do ballet clássico são divididas em tempos? 2 tempos, 4 tempos, 8 tempos... Muitas bailarinas confundem, e não conseguem fazer os passos dentro dos tempos corretamente. Mas isto é completamente normal quando se está iniciando. Por isso a importância de trabalhar a musicalidade. Um bailarino precisa sentir a música e dançar conforme seu ritmo. Preste atenção a todas as batidas da música que vocês estão trabalhando e não tente fazer da sua maneira. Se você não sabe como conduzir determinado exercício dentro da música, pergunte ao professor.

6. Outras dificuldades do Ballet Iniciante incluem: manter os joelhos esticados; manter o en dehors; voltar para a posição correta ao descer de um salto; fazer plié ao inciar ou terminar os exercícios que o exigem, entre muitas outras... Portanto é essencial manter sempre essas regrinhas na cabeça e no papel e treinarem bastante em casa o que for aprendido na aula. Ballet só se aprende com a prática. Não basta ir na aula duas vezes por semana, pois isto não é suficiente, é preciso dedicação diariamente. Se você não estiver disposto a se esforçar, jamais conseguirá ser uma grande bailarina.


Leia também: