Dicas para montar uma coreografia gospel - Blog Dança Cristã


Este é segundo post sobre Coreografia Gospel, e hoje quero deixar muitas dicas para vocês. Se você não leu o primeiro, clique AQUI para ler.

Não existem fórmulas ou segredos para montar coreografias, mas algumas coisas, se colocadas em prática ajudam muito. Antes de mais nada coloque-se a disposição de Deus, peça a Ele que seja o seu professor, que o capacite e te encha de ousadia, criatividade e unção. Esteja atento a voz dEle e procure construir uma relação de intimidade e comunhão com Ele. Não se esqueça que a nossa dança difere da dança secular, pois tem um propósito, portanto devemos estar firmados debaixo da vontade de Deus, tudo o que fizermos deve agradar primeiramente a Ele.

Montar uma coreografia é muito mais que juntar um passo com o outro no ritmo de uma música, é se entregar, é sentir... Além de ser um processo muito importante dentro do Ministério de Dança. Portanto o coreógrafo deve possuir uma certa técnica e sensibilidade espiritual. Ele precisa ser capaz de ouvir uma música e expressar o sentimento ou a mensagem que ela transmite, através dos movimentos.

Coreógrafos também são artistas, e a arte tem grande poder nas mãos de Deus se usada corretamente. O que não pode faltar no processo de montagem é a oração. É preciso pedir a direção de Deus em tudo que formos fazer, desde a escolha da música até os movimentos que serão inseridos. É fundamental também, que haja comprometimento, disciplina e dedicação de todos do Ministério de Dança. 

Assistir vídeos e apresentações pode ser uma boa ajuda para aprimorar técnicas e estimular a imaginação, sempre é possível aprender observando os outros, mas cuidado para não acabar copiando algo que não é seu e usar como se fosse. Já disse isso no artigo anterior "Como Montar uma Coreografia Gospel". Nunca se esqueça: Deus, é sempre a melhor fonte de inspiração.

Conheça o potencial e as limitações de todos do grupo: É muito importante que antes de montar uma música, o coreógrafo conheça todos os bailarinos no sentido técnico, o que cada um sabe fazer e o que não sabe, pois isto fará com que ele trabalhe melhor a coreografia, focando no que cada um tem de melhor e evitando expor ao público seus pontos negativos. 

Não escolha músicas muito longas: A não ser que você encaixe um teatro no meio, pois dançar uma música muito longa fica muito cansativo tanto para quem está assistindo, como para quem dança, músicas mais curtas, deixam um gostinho de quero mais.

Analise a música: Imprima a letra da música e analise cada palavra, se tiver alguma que você não conhece ou não entende o significado procure no dicionário. Depois analise cada frase e reflita: "O que esta frase me ensina?""Qual a mensagem que ela está transmitindo?", "Como eu posso interpretar esta mensagem através da minha dança?", "Eu tenho vivido o que estou dançando?". A esta última pergunta, se a resposta for NÃO, então não dance. Você precisa viver o que prega, caso contrário, não pregue.

Repetir alguns passos é normal: Você não precisa criar passos diferentes para cada refrão da música. Normalmente os refrões repetem várias vezes, não se preocupe em ficar procurando passos para cada um deles, principalmente se não tiverem muito tempo para ensaiar, repetir alguns passos durante a música não é errado. O importante é executarem cada movimento corretamente e da forma mais bonita que puderem.

Comece com os passos básicos: Não queira montar uma música já pensando em como será os pés, a cabeça e o braços, você pode acabar se confundindo. Portanto, crie os passos básicos primeiramente e depois vá dando forma, adicionando os detalhes. Como devem estar posicionados cada um dos braços em determinado passo? Como fica a cabeça? Com qual perna devo começar tal movimento e o que faço com a outra? E os pés, que jeito ficam? São muitos detalhes, vá devagar, uma coisa de cada vez.

Monte primeiro o refrão: Identifique o refrão da música e coreografe-o primeiro. O refrão é a parte que repete mais vezes e quando ele estiver pronto, 80% da música está montada.

Faça passos em duplas ou em grupo: Se a música permitir (e a quantidade de pessoas também), é interessante criar alguns passos para serem executados em dupla ou formar pequenos grupos. Façam coisas diferentes e interessantes, usem a imaginação.

Distribua bem os passos em cada parte da música:
Não acho legal aquelas coreografias que você fica muito tempo parada esperando começar a outra estrofe da música, mas também não fica bonito querer colocar 50 passos em cada frase deixando a coreografia muito carregada. Portanto, distribua bem cada passo sem deixar a coreografia muito vazia ou muito cheia.

Crie um final marcante: Toda música tem um fim, portanto, sua coreografia também deve ter, e o mesmo não pode ser feito de qualquer forma. Crie uma pose bem legal, explorando os passos mais profissionais que vocês conseguem fazer, mas não saia correndo, fique na posição pelo menos uns 3 segundos.

Não avance sem que antes todos tenham aprendido os passos: Esta dica está mais voltada para os ensaios da coreografia. Depois que ela estiver pronta e começar a ser transmitida para o grupo, tenha o cuidado de não avançar e deixar alguém para trás. Ensine um passo de cada vez e só siga em frente quando todos estiverem preparados, se precisar voltar para explicar ou mudar algo, faça-o. É muito importante respeitar os limites de cada um.

Pratique no lugar certo: Quando for montar a coreografia ou mesmo ensaiá-la, fuja dos lugares muito apertados ou pouco espaçosos, você pode acabar se esbarrando em algo, caindo ou se machucando. Portanto, procure um lugar que tenha bastante espaço e que facilite a execução de cada movimento.

Não tente fazer o que não sabe: Quando estiver criando os passos pense em todos do grupo, não crie nada que possa causar desconforto ou dano físico em alguém que seja menos experiente que você. Não exija dos outros e nem de você mesmo, mais do que consegue suportar.







Leia também: